quando eu era vivo

Existem aquelas histórias que me ganham logo pelo título. Provocam, atiçam. Escolher uma frase interessante ou uma tirada inteligente para nomear seu livro é me fazer ficar com muita vontade de ler na hora. Cultivo essa vontade faz tempo com A arte de produzir efeito sem causa, de Lourenço Mutarelli, e, depois de muita ansiedade, o resultado desse colocar as mãos no livro (ou no kobo) foi uma das experiências mais loucas que já tive.

A história parte de uma premissa simples e que pode não gerar muita vontade de ler. O protagonista, após um certo incidente, perde a esposa, o emprego e a casa. No caminho para sua nova moradia (ou melhor, no retorno para a casa do pai), ele ainda é assaltado e perde seus últimos bens materiais e quantias em dinheiro.

O que gera uma história ótima é o fato deste rompimento ser tão brusco para Júnior, nosso protagonista em questão, que a mente dele começa a ficar meio problemática, digamos assim. E tudo ainda fica pior quando ele começa a utilizar a bebida e o cigarro como formas de escapismo.

Não contarei aqui o que acontece de fato, porque eu me incomodaria, acredito, caso não tivesse o lido. Posso dizer que a linha entre a loucura e a sanidade acaba por se desintegrar. Tanto a do protagonista quanto a minha, como leitor.

QuandoEuEraVivo3.jpg


 

“Pensa que, de alguma forma, a vida,
pressentindo a negação feita pelo homem,
em represália estaria causando um enorme buraco na camada de ozônio,
produzindo violentas tempestades, maremotos, catástrofes.
Acredita que essas desgraças naturais só diminuirão
no dia em que o homem deixar de negar a vida e suspender a produção das pílulas anticoncepcionais.
No quarto copo sua teoria ganha ainda mais força e clareza.”


 

Senti frio, me arrepiei, fiquei angustiado, meu coração palpitou. A escrita do Lourenço Mutarelli é certeira e vai direto aos pontos que deseja, criando um livro rápido de ser lido. Porém, é difícil não se surpreender e, principalmente, digerir os acontecimentos.

Desfecho mais aberto que o desse livro? Nunca vi. O autor é corajoso o bastante para encerrar a história em seu ápice, no ponto alto da tensão. Prendi a respiração e só soltei depois de muita reflexão sobre o que aquelas últimas palavras significavam. Fica um mistério gostoso e nenhum desapontamento.


 

tumblr_inline_nn6so4yybd1rzaxsl_540a arte de produzir efeito sem causa – lourenço mutarelli – companhia das letras – 206 páginas

em 140 caracteres… terror psicológico de alto nível!
um livro para… duvidar dos próprios pensamentos, sonhos, vontades, dramas internos.
combina com… caos!
para quem já leu… a adaptação pro cinema, Quando eu era vivo, que tem muitos acontecimentos distintos e me gerou uma experiência bem diferente.

 

Andre agora sabe que é importante não demonstrar fracasso.

Advertisements

Um pensamento sobre “quando eu era vivo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s