feliz #estherday

Esther Grace Earl é uma garota como qualquer outra. Gosta de Harry Potter, passa bastante tempo na internet, adoro ouvir música, assiste o vlog dos irmãos John e Hank Green, escreve e cria seus próprios personagens, prefere se comunicar com animais, adoro assistir filmes de romance e comédia, gosta da neve bem branquinha, do sol esquentando o braço e das folhas que fazem barulhos ao serem pisadas, já conheceu vários países, tem uma família bacana, sonha com o primeiro beijo… Talvez a única coisa que diferencia Esther de outras meninas seja o câncer.

Esther tinha somente 12 anos e vivia cansada, principalmente quando tentava fazer exercícios físicos na escola. Ao fazer alguns exames, na tentativa de encontrar um problema como tuberculose, acabam encontrando o câncer de tireoide, que, apesar de assustador, não é tão ruim quanto os outros. Mesmo assim, esta protagonista real acaba entrando em complicações (e saindo delas várias vezes) e falecendo aos 16 anos. Antes disso, ela tentou fazer o melhor que pode com seus dias, sempre deixando cartas e mensagens positivas para os que a cercavam.

star


 

“Nestas páginas, e nas minhas memórias,
ela me faz lembrar que uma vida curta também pode ser uma vida boa e rica,
que é possível viver com depressão sem ser consumido por ela
e que o sentido da vida está na união, na família e nas amizades que transcendem e sobrevivem a todo tipo de sofrimento.”

(John Green)


 

O fato desta ser uma história real com pessoas reais e acontecimentos reais já nos coloca em uma posição diferente. Não estou acostumado com a leitura de biografias e começar por A Estrela que Nunca Vai se Apagar foi um desafio e tanto. A história de Esther é cheia de emoções e o modo como o livro foi construído ressalta vários atributos da garota e nos ajuda a submergir ainda mais. Dividido em capítulos curtos (que são as páginas do diário da garota e dos comentários de seus pais na internet), o livro tem um projeto gráfico baseado em cores para destacar as diferentes categorias e narradores.

Ler o diário de alguém parece uma intromissão que não merece desculpas, mas Esther escreve sobre seus dias de uma maneira tão íntima que é impossível não se sentir abraçado pelo texto dela, ora dramático ora cômico. É algo bastante pessoal, pois podemos acompanhar tudo com fotografias de arquivos e álbuns de família, desenhos que ela fez, conversas de chats na internet, cópias de cartas, vídeos do YouTube e postagens do blog da moça… Ao final, nos tornamos amigos desta menina que lutou até o fim, realizou sonhos e conquistou vários seguidores com seu legado.

maxresdefault

Por mais que haja uma melancolia implícita nas palavras que ela escolhe, é notável que Esther não desejava ser vista com medo ou sentindo dores ou com vontade de desistir. Ela sempre colocava tudo nas mãos de Deus e se apegava com a oração e o apoio de seus pais, que se tornaram melhores amigos durante o período em que alternou em visitas ao hospital e às estadias em sua casa.

Esther desejava ser escritora e seus primeiros textos aparecem ao final do livro. Para mim, uma das partes mais interessantes e bonitinhas. O talento dela para as palavras é notável. Assim como seu pai, Wayne Earl, que causa uma angústia tremenda narrando os últimos instantes da vida de Esther. Quem também ganhou pontos comigo foi o John Green, que me emocionou nas primeiras páginas do livro, quando fala da sua amizade com a Esther, ainda na introdução de A Estrela que Nunca Vai se Apagar.


 

“Vivemos em um mundo definido por seus limites:
não se consegue viajar mais rápido que a velocidade da luz.
Todo mundo deve e vai morrer.
Não se pode escapar desses limitações. Mas o milagre e a esperança da consciência humana
é que ainda podemos conceber a infinitude.”

(John Green)


 

85802_1280x720

Durante as cartas e textos que Esther escreveu no diário, me sentia confuso. A garota evitava pontuações, misturava seus pensamentos ao que desejava escrever de forma desordenada e as frases eram deixadas sem sentido em alguns momentos. Me incomodava e a leitura precisava ser interrompida para voltar e dar mais uma olhadinha no que ela quis dizer.

Outro incômodo eram os capítulos de Lori e Wayne, nas páginas alaranjadas. Os textos eram bem parecidos, sempre falando dos mesmos exames e procedimentos. Nem mesmo o capítulo escrito pela médica de Esther abrigou tantos termos técnicos. É claro que isso influencia na cronologia, mas o livro já ficaria bem grandinho mesmo excluindo estes fatos ou resumindo o que pudesse.


 

“Quando o dia chegar,
seja em um, dez ou cem anos,
eu não quero que vocês pensem em mim e fiquem tristes.
Mesmo agora que estou viva,
não pensem em mim e digam
“Pobrezinha. É uma pena que ela esteja doente.”
Não quero que vocês façam isso.
Pensem em mim
e pensem na luz do sol e no quanto aaaamo animais e desenhar coisas bonitas.”

(Esther Earl)


 

tumblr_inline_nsj95lnnpq1rzaxsl_1280

O principal legado de Esther acabou sendo justamente o desse desejo. Hoje, 3 de agosto, é comemorado o #EstherDay pelos nerdfighters. Um dia para celebrar o amor não romântico, a amizade e as coisas bonitas. Um dia para se agradecer, abraçar, parar um tempinho e escrever um bilhete carinhoso.

Meu bilhete, minha mensagem, vai para vocês. Vocês que me acompanham, me incentivam, aturam estes textos enormes, elogiam o que eu faço e gostam do que eu faço, mesmo que nunca tenha comentado ou curtido ou compartilhado nenhum post ou vídeo.

Vocês me ajudam.

Vocês me fazem continuar.

Obrigado.


 

tumblr_inline_nsj990g9n41rzaxsl_540a estrela que nunca vai se apagar – esther earl com lori e wayne earl – intrínseca – 448 páginas

em 140 caracteres… Um livro agridoce. Amargo em alguns momentos, açucarado em outros.
um livro para… quem gosta de biografias, curtiu “a culpa é das estrelas” ou quer fugir de ya.

Andre é grato.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s